sábado, 27 de outubro de 2012

O que é hiperidrose?

CAUSAS, SINTOMAS E TRATAMENTOS

O suor excessivo gera um transtorno na vida de 176 milhões de pessoas segundo a Sociedade Internacional de Hiperidrose (IHS). Esse incômodo pode interferir na qualidade de vida e ocasionar um distanciamento social por causa do constrangimento acarretado pela hiperidrose. Uma pessoa portadora da doença soa quatro ou cinco vezes a mais do que o necessário para manter a temperatura do corpo.

De acordo com a dermatologista Miriam Sabino de Oliveira (CRM-SP-107351), a hiperidrose pode aparecer na infância, adolescência ou na idade adulta.

Transpiração excessiva é provocada devido a hiperatividade das glândulas sudoríparas. Esta alteração não é considerada uma doença grave, é apenas uma situação desconfortável que causa um constrangimento social. As áreas mais atingidas são as axilas, palmas das mãos, plantas dos pés, região inguinal e perineal", explica a dermatologista.

A hiperidrose pode ser primária ou secundária, pode aparecer também por causa de outras doenças, entre elas hipertireoidismo, diabetes, obesidade e alterações hormonais.

O aumento da temperatura ambiente, prática de exercícios físicos, reações emocionais e psicológicas podem  explicar o aumento do suor excessivo. Quando o paciente é portador da hiperidrose primária a causa pode ser ética ou está ligada ao estresse", destaca a médica Miriam Sabino de Oliveira.

Normalmente, a transpiração excessiva inicia na infância ou no começo da adolescência, o que pode até prejudicar o rendimento no aprendizado escolar.

As crianças portadoras de hiperidrose podem ter sérios problemas na escola, pois o suor das mão embebe o papel, impedindo a escrita", ressalta a dermatologista.

Vivendo com a Hiperidrose

O suor excessivo é uma condição desagradável, que prejudica a rotina do dia-a-dia, interfere no trabalho e lazer. Atividade diárias como escrever, apertar a mão de outra pessoa, segurar papéis, e outras atitudes simples podem se tornar uma tarefa difícil para quem tem hiperidrose.

A maioria das reclamações de quem tem hiperidrose é que não há a necessidade de algum estímulo externo que faça com que a pessoa sue mais. A qualquer hora a transpiração pode ocorrer, colocando a pessoa em situações "constrangedoras", esclarece a dermatologista Miriam Sabino de Oliveira.

Tratamento

O paciente pode experimentar dois métodos de tratamento: clínico ou cirúrgico. O medicamento via oral e de uso tópico são indicados para os casos mais leves. Dependendo do quadro da hiperidrose pode ser necessária uma intervenção cirúrgica para a retirada das glândulas sudoríparas das axilas.

Entre as diversas opções para cessar o suor, a toxina botulínica está sendo uma excelente escolha terapêutica para tratar a hiperidrose. Sua aplicação interrompe a secreção sudoral por um período de 6 a 8 meses. Em alguns pacientes, o suor fica comprometido por até 12 meses", orienta a médica Miriam Sabino de Oliveira.

Faz parte dos tratamentos também disponíveis a simpatectomia torácica, que é realizada por cirurgião torácico e interrompe os estímulos das cadeias ganglionares interrompendo o suor em determinadas regiões como mãos e axilas, porém pode haver suor compensatório em outras áreas.

Driblando a transpiração excessiva

A dermatologista Miriam Sabino de Oliveira receitou algumas dicas para quem sofre desse problema. Cuidados simples como manter uma alimentação equilibrada, controlar a ansiedade e o stress podem ajudar a amenizar o suor:

 - Evite o consumo exagerado de café, álcool ou alimentos muitos fortes como o pimentão. Essas substâncias podem favorecer a hiperidrose.

- Relaxe. Procure não se estressar ou ficar muito nervoso. Esse estado de hiperatividade induz a transpiração.

- Pegue leve, use roupas soltas e arejadas.

- Manter uma alimentação equilibrada e praticar esportes regularmente ajuda a diminuir a hiperidrose.

- O escalda-pés e lavar os pés variando a temperatura para quente e fria pode contornar o problema de suor nos pés.

Matéria encontrada aqui.

Sempre achei esse assunto interessante pois convivi com uma prima que tinha este problema, vivia com uma toalhinha nas mãos e depois que casei descobri que minha cunhada também tinha este mesmo tipo de problema, só que ela optou por cirurgia e pelo que sei, resolveu o problema.

Lembro-me de um episódio que minha prima passou e sentiu-se muito mal por suar em excesso nas mãos... ela estava em Curitiba e estava fazendo muito frio, subiu em um ônibus, segurou na barra de ferro e quando percebeu não estava suando e sim saindo fumaça das mãos... o suor evaporava e parecia que as mãos dela emitiam fumacinhas... o que chamou a atenção dos passageiros e claro, ela ficou envergonhada. Não fiquei sabendo se ela fez cirurgia também, mas deve ter feito algo pra sarar deste incômodo.

4 comentários:

  1. Eu tenho esse problema e é muito ruim

    ResponderExcluir
  2. eu tambem tenho esse problema e e mito uim ainda mas no verao eu sofro muitocom isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também, é horrível no verão.

      Excluir
  3. Tenho essa doença e tenho apenas 15 anos, me incomoda demais. sou jovem e já tenho esse problema. Graças a Deus que depois da cirurgia isso não voltará mais.

    ResponderExcluir

Deixe seu recadinho, assim que puder respondo.