terça-feira, 30 de outubro de 2012

Dieta Ortomolecular

Todos sabem que existem milhões de dietas, da sopa, da lua, disso, daquilo, vou postar uma que achei interessante:

A dieta ortomolecular é uma das mais famosas entre as celebridades. Veja os benefícios, prós e contras desse método à base de vitaminas e sais minerais.
Em poucos anos, a dieta ortomolecular virou a queridinha das famosas depois que muitas afirmaram ter emagrecido com o método. Mas afinal, no que consiste a dieta ortomolecular? Há um consenso entre os especialistas, das mais diversas áreas, de que a saúde está diretamente ligada à ingestão das quantidades essenciais de vitaminas, sais minerais e aminoácidos.

Além disso, ainda há a existência dos radicais livres, moléculas que agridem o organismo acelerando o envelhecimento celular e que estão em toda parte - no ar que respiramos e até na comida, como nos enlatados, na carne vermelha, nos laticínios e no açúcar.

Partindo dessas idéias, a dieta ortomolecular defende o consumo de frutas, verduras, legumes, peixes, queijos brancos, óleo de canola e azeite virgem. Aves, ovos, leite magro e cereais integrais devem ser adotados com cautela. Ao mesmo tempo, pede-se para riscar do cardápio as gorduras saturadas - encontradas nas frituras com óleo superaquecido e reaproveitado em itens como pastel de feira, bife à milanesa e batata frita -, que prejudicam o coração, a pele, a circulação sanguínea e a visão, além de causar colite (inflamação do intestino).

É preciso abolir ainda açúcares e farináceos (pão francês, bolo, macarrão e demais pratos feitos com farinha branca), pois ambos aumentam a taxa de colesterol ruim e possuem alto teor de radicais livres, que favorecem o diabetes, fermentam no aparelho digestivo e causam distensão abdominal e gases.

Dieta Ortomolecular + suplementos vitamínicos

De acordo com os estudiosos da dieta ortomolecular, nenhum outro regime tem a quantidade de nutrientes recomendada para suprir nossas necessidades diárias. Daí a teoria de que para prevenir diversas doenças e ganhar uma pele bonita, unhas fortes e cabelos brilhantes não basta investir 'apenas' nos alimentos in natura, é preciso ir além.

"Maçã, alface, cenoura, peixe... Todos estão sujeitos a agrotóxicos e às péssimas condições dos rios e mares, que contaminam esses produtos com mercúrio, chumbo, alumínio e demais metais pesados", alerta Ademir Carvalho Leite (RJ), endocrinologista, ortomolecular e ph.D. pela Universidade de Los Angeles (EUA). E é aí que entram os suplementos vitamínicos. Baseados em vitaminas e sais minerais manipulados com hormônios naturais extraídos de alimentos nutritivos como soja e inhame, a suplementação faz com que as células encontrem seu eixo e favoreçam os ciclos metabólicos, o que leva à perda de peso. Hoje em dia esses complexos são encontrados em forma de cápsulas, comprimidos, xaropes ou sachês (saquinhos com pó para diluir em suco ou iogurte).

Como aderir à dieta ortomolecular

O primeiro passo para aderir ao plano é eliminar toxinas por meio de um processo chamado quelação. Para isso, são aplicados supositórios ou injeções (uma vez por semana) que promovem uma varredura através da urina, das fezes e do suor. "Com isso, é possível restaurar o equilíbrio", diz Ademir.

Mitos e verdades sobre a dieta ortomolecular

Há controvérsias no universo da medicina ortomolecular que giram basicamente em torno de dois pontos:

1 - Os métodos utilizados para verificar a presença de nutrientes no organismo.
A análise é feita pelo sangue, para checar os níveis de hormônios, colesterol, triglicérides, vitaminas e minerais, e também pelo fio de cabelo ou pelo pubiano, que indicam o teor de metais pesados (encontrados em alimentos contaminados, que oxidam as células causando envelhecimento e doenças) presentes no corpo. A partir do resultado adequam-se a dieta para cada um. Na opinião da dermatologista Denise Steiner (SP), o teste do cabelo é relativo porque a fibra absorve matérias do meio externo, como restos de cosméticos e poluição, não sendo portanto suficiente para um diagnóstico certeiro. O doutor Ademir concorda com a médica: "Sem dúvida o de sangue é mais seguro, uma vez que a tecnologia é simples e ele pode ser feito em qualquer laboratório com estrutura mínima. Quem mora longe dos grandes centros não precisa se submeter ao outro exame, basta uma verificação física e um histórico completo de suas patologias". Resumindo: o teste do cabelo é complementar.

2 - O fato de a medicina ortomolecular não ser reconhecida como especialidade médica no Brasil.
Conforme comunicado da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade (Abeso), a ortomolecular não é considerada uma área da medicina. As entidades afirmam que não existem evidências científicas de que dietas à base desse tratamento sejam eficazes. A mensagem é endossada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que se manifestou citando o artigo 13 da resolução 1500/98, que diz: "São métodos destituídos de comprovação científica suficiente quanto ao benefício para o ser humano sadio ou doente e, por essa razão, proibidos de divulgação e uso no exercício da medicina os procedimentos de prática Ortomolecular, diagnósticos ou terapêuticos, que empregam: megadoses de vitaminas; antioxidantes para melhorar o prognóstico de pacientes com doenças agudas ou em estado crítico; quaisquer terapias ditas antienvelhecimento, anticâncer, antiarteriosclerose ou voltadas para patologias crônicas degenerativas; análise de fios de cabelo para caracterizar desequilíbrios bioquímicos; vitaminas antioxidantes ou EDTA para genericamente 'modular o estresse oxidativo'".

O CFM proíbe a medicina ortomolecular para tratar obesidade e doenças, mas não se opõe quando o objetivo é desintoxicar o organismo de metais pesados, e só. Caso contrário, qualquer denúncia será apurada.

Conclusão dos fatos

Diante dos contras, o ideal é não partir para este plano alimentar sem a indicação de um bom profissional. Lembre-se sempre: cada indivíduo precisa de recomendações específicas de acordo com sua idade, estilo de vida e histórico familiar. Por outro lado, o conceito da medicina ortomolecular que prega a importância de se ingerir adequadamente vitaminas e minerais pode e deve ser seguido por todos.

Matéria encontrada aqui.

Minha opinião... bem, regular as vitaminas do organismo é sempre bom, mas acreditar que só isso vai ajudar na perda de peso é exagero... e já tem muitas pesquisas provando que retirar completamente os carboidratos na alimentação leva à vários problemas de saúde a longo prazo... continuo acreditando que o mais indicado é comer menos calorias de que se gasta no dia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recadinho, assim que puder respondo.